Oficina de Jardinagem Agroflorestal

Método “Um aluno por canteiro”

Por Cristina Velasquez e Osvaldo Luis de Sousa (Instituto Socioambiental)

Passando da aula de plantio de feijão no algodão para plantio de florestas.

Princípios que serão exercitados: Sucessão natural de espécies e criação de recursos naturais.

Para ensinar agrofloresta, baseado nas idéias propostas pelo pesquisador e agricultor Ernst Götsch, propomos que cada aluno tenha sua área para produção e aprendizado.

Esta área pode ser uma horta, na qual os canteiros devem ser muito bem preparados por quem sabe fazer canteiros, para que as crianças colham e se animem a plantar.

Os canteiros devem ser cobertos com matéria orgânica como capim, palha de arroz, papel picado. serragem, para que os alunos apreendam que a terra deve ficar coberta.

Apôs o preparo, os canteiros são divididos entre os alunos, de modo que cada aluno fique com pelo menos um metro quadrado.

Neste momento começa o feitio da muvuca (mistura de sementes de árvores), onde os alunos são apresentados às sementes das arvores que irão ser plantadas.

As sementes de árvores devem ser de muitas espécies, e em uma quantidade que garanta o nascimento de muitas árvores por metro quadrado (o ideal é que nasçam 10 árvores por metro quadrado). Com o tempo a natureza junto com o aluno vão fazendo o raleamento das árvores.

O professor tem que ter seu canteiro junto com os dos alunos. As instruções sobre o plantio são dadas na prática: o professor organiza os alunos em volta do seu canteiro, explicando e plantando as sementes de arvores junto com as plantas que irão criar as arvores e servir de alimento como o rabanete, cenoura, milho, tomate, mandioca, banana e mamão entre outras.

Depois toda semana o canteiro tem que ser visitado e manejado, raleando as hortaliças e retirando o capim que nascer com a mão. Por volta de um mês começa a colheita da rúcula ou rabanete.

A avaliação pode ser feita dando notas aos canteiros, observando o capricho e a produção obtida, e o aprendizado que o aluno contar que teve no canteiro.

Nestes canteiros os alunos iram observar na prática:

Que neste chão plantando tudo dá

foto

Colheita do rabanete na Casa da Criança (Canarana-MT)

Que uma planta ajuda a criar a outra (sucessão natural)

foto

Aluno mostrando a jabuticaba e a acerola sendo criadas no seu canteiro.

Que o material da poda e capina do canteiro aduba e cobre o solo

foto

Professora Rosa mostrando à bananeira no qual a palha do milho depois da colheita foi colocada em volta do pé da bananeira.

Esquema do plantio:

1) Comece primeiro fazendo os canteiros.

2) Divida os canteiros entre os alunos.

3) Os alunos contam quantas sementes de cada espécie de arvore  cada um vai plantar na sua muvuca, determinando a quantidade e diversidade de espécies de arvores a serem plantadas, fazendo o marco zero do que ele vai plantar para poder comparar com o levantamento do que germinou que será feito depois. Sugere-se também fazer o desenho em cartolina, localizando aonde pretende plantar cada semente e/ou a muvuca.

4) O Professor organiza os alunos em volta do canteiro dele; aonde ele planta sozinho as hortaliças e a muvuca de sementes para servir de exemplo.

Proposta as de exercícios a serem feitos pelos alunos a partir dos canteiros:

1) Exercício de Português: redação sobre como foi plantar meu canteiro.

2) Primeira semana após o plantio: os alunos vão cada um para o seu canteiro para fazer a primeira  observação e a capina seletiva, na qual os alunos tiram somente os capins que estão nascendo com a mão. Também fazem o raleio das plantas que nasceram deixando o espaçamento correto. Os alunos sempre devem ser incentivados a aumentar a biodiversidade de seus canteiros, plantando outras sementes que encontrarem.

3) Terceira e quarta semana: Continua o mesmo trabalho da primeira semana.

4) Quatro semanas:  cálculo da colheita – rúcula, rabanetes e o que mais vier.

5)  1ª Avaliação individual dos canteiros:  Primeira reunião com os resultados de todas as colheitas e da evolução dos plantios.

  • Exercício dois de matemática: Quais as porcentagens de sementes que nasceram? Qual a diversidade de espécies em cada canteiro e em toda a área?
  • Exercício de ciências: Quais são os tipos de solos, os tipos de animais do solo?

6) Durante segundo mês: Dar continuidade no manejo das plantas semanalmente: ver a necessidade de raleamento, condução e poda.

6) Continuar a colheita de quiabo, jiló, cenoura.

7) No terceiro mês já estarão colhendo milho verde.

foto

Alunos plantando cada qual seu canteiro Agroflorestal (Ceres/GO – 2005)

 

foto

Aluno manejando seu canteiro no primeiro mês. Agrofloresta (Ceres/GO – 2005)

foto

Alunos mostrando a colheita de melão e quiabo colhidos 57 dias apôs o plantio. Eles também falaram que visitar o canteiro na hora do recreio virou um ritual. (Alunos da professora Monica nos canteiros agroflorestais da Escola coronel Vanick, Canarana-MT)

foto

Canteiro com um ano e meio, no qual Ernst Götsch observa a bananeira e as arvores que já substituíram as culturas anuais. (Oca Brasil – Alto Paraíso – GO)

Esta entrada foi publicada em Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *